PROFESSORES E ESTUDANTES TEM BENEFÍCIOS NO NOSSO SITE.

SAIBA MAIS

lg_oficina_textos_branco

  • MEUS PEDIDOS
Buscar

Processos erosivos e recuperação de áreas degradadas

Aborda aspectos relacionados à erosão acelerada dos solos e aos movimentos de massa, dando subsídios para seu estudo, controle e prevenção. Amplamente ilustrada e com exemplos práticos nacionais e internacionais, a obra discute temas como Bioengenharia, geotecnologias, erosão costeira e fatores antrópicos e climáticos nos processos geomórficos.
Ver descrição completa

descrição completa

A cada temporada de chuvas, os riscos de erosão acelerada do solo e movimentos de massa, particularmente em regiões mais íngremes, como as de serras e encostas em geral, atingem cotidianamente as populações que as ocupam, tanto no meio urbano como no rural. Pro?ssionais envolvidos com a gestão e estabilização das áreas de risco, atuantes em órgãos públicos, consultorias e pesquisas acadêmicas, poderão se valer dos conceitos, métodos e aplicações apresentados nesta obra para melhor desenvolver o estudo, o controle e a prevenção desses processos.

Amplamente ilustrada e com exemplos práticos nacionais e internacionais, Processos Erosivos e Recuperação de Áreas Degradadas discute temas como Bioengenharia na recuperação de áreas degradadas; geotecnologias no estudo de feições erosivas e movimentos de massa; modelagens; fatores antrópicos e climáticos nos processos geomorfológicos; e, com abordagem inovadora, fechando o livro com chave de ouro – erosão costeira: tema raramente abordado nos foros acadêmicos e pro?ssionais, apesar de relevante ao longo dos 8.000 km de costa que o País ostenta.

Uma importante referência para estudantes, pesquisadores, reguladores e pro?ssionais das áreas de Geogra?a, Geologia, Engenharia, Arquitetura e Urbanismo, Biologia e Ecologia.

Especificação

SumárioSumário
DegustaçãoDegustação
OrganizadorAntonio Jose Teixeira Guerra,Maria do Carmo Oliveira Jorge
Páginas192
ISBN978-85-7975-079-3
eISBN978-97-8857-975-6
Publicação2013
Formato16 x 23 cm
EncadernaçãoBrochura
Edição1

Especificação de Capítulos

Capítulo 01Erosão dos solos e movimentos de massa – recuperação de áreas degradadas com técnicas de bioengenharia e prevenção de acidentes (Cap. 1), escrito pelos organizadores do livro – Maria do Carmo Oliveira Jorge e Antônio José Teixeira Guerra –, apresenta uma série de conceitos, métodos e exemplos a respeito do assunto.
Capítulo 02Erosão dos solos e movimentos de massa – recuperação de áreas degradadas com técnicas de bioengenharia e prevenção de acidentes (Cap. 1), escrito pelos organizadores do livro – Maria do Carmo Oliveira Jorge e Antônio José Teixeira Guerra –, apresenta uma série de conceitos, métodos e exemplos a respeito do assunto.
Capítulo 03No Cap. 3, Importância do fator antrópico na redefinição de processos geomorfológicos e riscos associados em áreas urbanizadas do meio tropical úmido – exemplos na Grande São Paulo, as autoras – Cleide Rodrigues e Isabel Cristina Moroz-Caccia Gouveia –, abordam diversos elementos relacionados ao fator antrópico nos processos geomorfológicos, além de apresentar diversos exemplos da Grande São Paulo.
Capítulo 04Hugo Alves Soares Loureiro e Stella Mendes Ferreira, com O papel das geotecnologias no estudo de feições erosivas e de movimentos de massa no Brasil, Cap. 4, enfatizam a importância e a necessidade de se utilizar essas técnicas para melhor compreensão das feições erosivas e dos movimentos de massa, não só do ponto de vista acadêmico como técnico.
Capítulo 05No Cap. 5, Osvaldo Girão, Antônio Carlos de Barros Corrêa, Ranyére Silva Nóbrega e Cristiana Coutinho Duarte expõem O papel do clima nos estudos de prevenção e diagnóstico de riscos geomorfológicos em bacias hidrográficas na Zona da Mata Sul de Pernambuco, destacando as várias formas de como o clima é importante nos estudos geomorfológicos relacionados à erosão dos solos e aos movimentos de massa.
Capítulo 06Finalmente, Dieter Muehe demonstra com Erosão costeira, mudança do clima e vulnerabilidade, Cap. 6, que a erosão é cada vez mais acelerada no litoral, com construções muito próximas ao limite com a praia, tornando a percepção de risco associado a processos erosivos, antes limitados a relativamente pequenas áreas, muito mais generalizada.

Títulos Relacionados